image-160

22 732 15 29


geral@saespinho.pt

logotipo

Travessa da Fonte n.º 91
4500-553 Anta - Espinho 

Travessa da Fonte n.º 91
4500-553 Anta - Espinho 

pexels-dmitry-demidov-3852577
arvoredigital1

Tratamento

Modelo

A metodologia utilizada está fundamentada no reconhecido modelo de tratamento americano, o Modelo Minnesota. Este Modelo é de longe o modelo de tratamento mais amplamente utilizado e que oferece os melhores resultados, embora em Portugal ainda não esteja muito difundido. O Modelo Minnesota combina o Modelo Médico (uma vez que advoga o conceito de doença sem cura mas com recuperação, também defendido pela OMS), a Filosofia do Programa de Recuperação de 12 Passos de Narcóticos Anónimos e Alcoólicos Anónimos que comprova ser possível recuperar sempre e quando se adira às propostas do programa, juntamente com os últimos avanços médicos, psicológicos e psiquiátricos.


O problema é assim entendido como uma Doença Primária, Crónica, Progressiva e Fatal que afeta o indivíduo em termos físicos, emocionais, psicológicos, existenciais e sociais, pelo que o tratamento é individualizado e baseia-se numa abordagem bio-psico-social e espiritual, que trata o problema em toda a sua dimensão e que serve de suporte para o indivíduo ao longo da sua vida.

Trata-se de uma abordagem integral e multidisciplinar, marcadamente humanista, orientada para dois objetivos a longo prazo: a abstinência de todo o tipo de drogas e a obtenção de uma vida de qualidade com saúde física, psicológica e emocional.

PROGRAMAS DE TRATAMENTO

PROGRAMA DE RECAÍDA

TRATAMENTO PRIMÁRIO

O tratamento no SAE está pensado para ser intensivo e de curta duração para que possa produzir mudanças rápidas na vida das pessoas. O tratamento pode ser resumido em  termos de um processo dinâmico sequencial ou como um programa sistémico de três fases que se interrelacionam:

 

  1. Aceitar a impotência face ao problema;
  2. Reconhecer a necessidade de mudança;
  3. Planear para a ação.

O SAE não acredita que a recaída seja parte da recuperação. O que acreditamos é que a recaída é o resultado do que não foi abordado ou tem sido negligenciado pelo paciente, o que criou o obstáculo para avançar numa vida em abstinência e recuperação. O nosso Programa de Recaída é para indivíduos que sofreram recaída após manter algum período de recuperação da sua dependência. Oferecemos um processo especializado, orientado por profissionais treinados para permitir a descoberta do que contribuiu para a recaída, bem como são identificados os obstáculos específicos à recuperação do paciente e questões subjacentes que contribuem para o processo de recaída são examinadas e resolvidas. Além disso, o programa de recaída ajuda-os a identificar os sinais de alerta de recaídas e a aprender habilidades específicas que o ajudarão a evitar recaídas adicionais. Antes da alta, é projetado um plano individualizado de prevenção da recaída para fortalecer ainda mais o plano de recuperação do paciente.

CUIDADO CONTINUO (AFTER-CARE)

Para o SAE esta é uma das etapas mais importantes do processo de recuperação. Tecnicamente, os cuidados contínuos começam após o paciente concluir um programa de tratamento e está pronto para ser reintegrado na sociedade.

O objetivo dos aftercares não é apenas evitar uma recaída, mas sim manter o paciente envolvido na recuperação enquanto faz a transição do tratamento para a vida real.

Ao enfrentar os desafios de uma vida sóbria, o serviço de pós-tratamento pode ajudá-lo das seguintes maneiras:

  • Ajudar a fazer escolhas saudáveis sobre o seu estilo de vida, atividades e relacionamentos;
  • Reforçar as habilidades que aprenderam para lidar com o stress e emoções fortes;
  • Ensinar a identificar os seus próprios gatilhos e evitar uma recaída;
  • Ensinar a prevenir eventuais danos ou consequências de comportamentos mal adaptativos;
  • Dar-lhe acesso a indivíduos e grupos de apoio que podem ajudá-lo no processo de recuperação.

PROGRAMA FAMILIAR

O tratamento no SAE compreende também um programa familiar que se estrutura como uma experiência semanal que é educativa e vivencial.
A família recebe a mesma informação que o paciente, além disso ajuda-se o familiar a preparar-se para receber o paciente de volta; a conseguir que a sua vida não mais gire à volta do paciente e como pode desprender-se do problema, mas não da pessoa. Outro objectivo é ajudar a família a compreender o conceito de doença familiar e deixar que o paciente resolva os seus problemas enquanto os demais começam a viver a sua própria vida. O Programa familiar é específico e pode incluir todos ou apenas alguns membros, dependendo das necessidades da família.

 

Este Programa ocorre em simultâneo com o tratamento do paciente e é agendado previamente com os familiares.

 

O programa de família inclui:

  • Oportunidades de visita;
  • Programas de família intensivos em dias a determinar pela equipa;
  • Atualizações por telefone para os membros da família;
  • Sessões de terapia familiar (se clinicamente apropriado);
  • Duas conferências de família.
 

LOREM IPSUM

TERAPIA COGNITIVO COMPORTAMENTAL

A Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC) ensina as pessoas a reconhecer humores, pensamentos e situações que provocam fissura (vontade incontrolável de uso de substâncias e outros comportamentos aditivos) e distorções da realidade. Um terapeuta treinado em técnicas de terapia cognitivo-comportamental ajuda a pessoa a evitar esses gatilhos e a substituir pensamentos e sentimentos negativos por outros mais saudáveis. As habilidades aprendidas através da terapia cognitivo-comportamental podem durar uma vida, dado ser uma técnica poderosa baseada em evidências e que se centra na mudança de padrões de pensamento e comportamento destrutivos e doentios.
MODELO TRANSTEÓRICO DA MUDANÇA

A mudança não acontece de um momento para o outro, leva tempo e energia. Muito do processo inicial de mudança ocorre internamente enquanto a pessoa pondera se a mudança vale o tempo e o esforço exigidos. O processo de mudança começa com uma pessoa que não está consciente de nenhuma necessidade de mudança até que o problema não consegue ser ignorado, são feitos planos de mudança que, sendo alcançadas, levam a pessoa a trabalhar no sentido de manter a nova posição. Terapias com base no modelo transitório mostram como é que as pessoas fazem mudanças bem-sucedidas e facilitam o processo ao longo de todo o decurso das 5 fases da mudança: pré-contemplação, contemplação, preparação, ação e manutenção.
TERAPIA COMPORTAMENTAL DIALÉTICA

A TCD é uma abordagem baseada em habilidades para aprender estratégias eficazes de enfrentamento que podem ser usadas para abordar e alterar comportamentos não saudáveis. Originalmente desenvolvido por Marsha M. Linehan, PhD, ensina às pessoas habilidades para lidar com o stresse, regular as emoções e melhorar o relacionamento com os outros. A TCD tem-se mostrado eficaz em adultos e adolescentes com uma gama de condições psiquiátricas e problemas de comportamento.
TERAPIA DA REALIDADE
A Terapia da Realidade de Glasser é uma técnica muito útil para as pessoas que rejeitam a realidade em que vivem. O sucesso terapêutico está relacionado com fato de que o cliente deixa de rejeitar a realidade, encara-a tal como ela é e entende que só alcançará satisfação se fizer um trabalho consigo mesmo. A terapia da realidade de William Glasser visa a realização de metas concretas através da resolução de problemas e tomadas de decisões acertadas. Trata-se de ajudar o cliente a atingir os seus objectivos pessoais, analisando os seus comportamentos atuais e modificando aqueles que interferem nas metas; e colaborar com o cliente para que eles possam atender a cinco necessidades básicas: amor e pertença, poder, sobrevivência, liberdade e diversão.
TERAPIA RACIONAL EMOTIVA
O princípio fundamental está sustentado no pressuposto de que aquilo que acontece não perturba as pessoas, mas as pessoas perturbam-se pela sua visão acerca daquilo que acontece. Assume assim que pensamento, sentimento e comportamento são interrelacionados, numa relação sistémica e devem ser trabalhados juntos, através do Sistema ABCDE, onde: A (acontecimento desencadeador), B (crenças irracionais), C (consequências emocionais e comportamentais), D (debate), E (nova crença). O objectivo é o de mudar a baixa tolerância à frustração e promover uma mudança emocional e comportamental profunda.
TERAPIA FOCADA NAS EMOÇÕES
A Terapia Focada nas Emoções é uma abordagem neo-humanista concebida para ajudar pessoas a tornar-se mais conscientes das suas emoções e a fazerem um uso produtivo das mesmas. Os pacientes são ajudados a identificar, experienciar, aceitar, explorar, dar sentido, transformar e administrar flexivelmente as suas emoções. Como resultado, eles tornam-se mais competentes na autorregulação emocional, no acesso a informação acerca de si mesmo e do seu mundo contidas nas suas emoções, bem como uma maior capacidade de viver uma vida mais plena e saudável.
PREVENÇÃO DA RECAÍDA
A recaída é uma realidade entre aqueles que tentam superar problemas de adicção. Ele é sempre desencadeado através da exposição a situações de risco tais como estados emocionais negativos, desejos e tentações, conflitos interpessoais, exposição a pessoas, lugares ou eventos associados ao abuso de substância. Durante as terapias de prevenção de recaídas, os clientes aprendem a identificar situações de risco e habilidades para lidar com eles; como aumentar a sua autoconfiança, eliminar mitos sobre os efeitos do álcool e das drogas e reestruturar as suas percepções sobre a recaída enquanto processo. Outros objectivos da terapia de prevenção de recaídas é a adopção de um estilo de vida equilibrado, comportamentos positivos, técnicas de controlo de estímulos e desenvolver um plano para o que fazer em situações de emergência para evitar a recaída.

Técnicas Psicoterapêuticas

Create Website with flazio.com | Free and Easy Website Builder